EMPATIA MAIS DO QUE NUNCA!


O que é mesmo se colocar no lugar do outro ? Até onde praticamos?

Na era da globalização as informações borbulham de todos os lados e redes sociais. Somos bombardeados por diversas opiniões, posicionamentos, relatos, mimimis, fakes, etc, etc. Como lidar com tudo isso ?

Essa vitrine exposta mobilizada pela internet tem um lado tentador que distrai porém ainda desperdiçamos muito tempo com informações infundadas. Nesse universo, vou ainda um pouco mais além, num mundo onde ainda somos julgados com frequência por identificarmos e revelarmos nossas necessidades, somos induzidos a exercer o papel do ” super antenado ” , pra ser aceito socialmente.

É de nossa natureza gostarmos de dar e receber com compaixão. Entretanto aprendemos muitas formas de comunicação alienante da vida que nos levam a falar e se comportar de maneira que ferem aos outros e a nós mesmos. Ao nos relacionarmos com os outros, a empatia ocorre somente quando conseguimos nos livrar de todas as ideias preconcebidas e julgamentos a respeito deles.

Carl Rogers descreve o impacto da empatia em quem a recebe : ” Quando alguém realmente o escuta sem julgá-lo, sem tentar assumir a responsabilidade por você, sem tentar moldá-lo , é muito bom.(…) Quando sinto que fui ouvido, consigo perceber meu mundo de uma maneira nova e ir em frente …”

Quando investimos no auto conhecimento estamos cuidando do interno. Cuidar do interno não é uma tarefa fácil mas te possibilita olhar as pessoas de outra forma . Em tempos de Inteligência Artificial é preciso investir nas habilidades humanas . Grande parte dos problemas do mundo poderiam ser evitados se os seres humanos fossem mais empáticos uns com os outros. Praticar a empatia permite que se tenha mais compaixão, tolerância e amor para com o outro. Condições essenciais para construção de um mundo melhor e mais pacífico.

Empatia tem sido a temática atual. Recentemente presenciamos esse discurso na entrega do Oscar 2020 da Indústria cinematográfica. Os filmes Parasita ( vencedor com o prêmio de Melhor filme – 2019 ) e Coringa ( vencedor com o prêmio de melhor ator- 2019 ) abordam de forma avassaladora o tema, expondo as diferenças entre classes sociais, o descaso e a violência gerados pela falta de empatia. Onde vamos parar ?

A empatia pode ser algo muito simples, podendo se manifestar através de gestos e palavras. Sem dúvidas é uma questão necessária a ser refletida, falada e representada através da arte.

Então , por que não tratar o próximo da forma como você gostaria de ser tratado ?

Solange Ap. Araújo Moraes